Traindo de verdade – roteiro/cinema

Como voltei às aulas de Roteiro hoje, estou inaugurando a categoria Arte e etc. com parte de um roteiro meu. Caso gostem, gostaria de falar aqui sobre roteiros e eventualmente mostrar trabalhos inéditos e consagrados também. Cinema é arte que depois de sétima, virou entretenimento obrigatório no mundo inteiro. É papo sério, é vida em movimento, imagem destorcida da realidade, uma reinvenção de sensações, o absurdo do olhar para o olhar. Eu amo o audiovisual. Vou passando por aqui informações da pesada para vocês. ;)

Essa é uma intrínsica relação, não de um casal, ou dois, mas trata da relação sexual humana pós moderna depois que tudo acabou. É o caos do pensamento desprendido, do sexo sem medo, do amor urgente antes da guerra, amor só por amor. Uma discussão contemporânea da vida e da carne que treme. Sem pudores ou regras. Sem sensação de pecado ou ética. O mundo em que vivemos. Brinaldo (Brina), 26 anos e Brenda 23 se confrontam em diálogo rascante e realista, visando apenas o amor imediato da carne.

“TRAINDO DE VERDADE” – Roteiro para cinema – 8mm

CENA 1/MOTEL / INTERIOR/DIA

BRINA E BRENDA NA CAMA. ENROLADOS EM TOALHAS. BEBEM VINHO.
Brina
“Eu avisei que seria perigoso, tá ficando perigoso.”
Brenda
“Mas na hora de gozar, e muito, gostou”
Brina
“Mas se é você que vive colada no meu pé!”
Brenda
“Agora sou eu quem leva a culpa.”
Brina
“De que culpa está falando, mulher? Não gosto desse papo de sentimento de culpa! Sentimento de perda, essas merdas da psicanálise!”

BRINA PEGA O CONTROLE DA TV.

Brenda
“Mas com a ‘dor de corno’ cê tá nem aí, né? E não liga essa droga de cine privé, não vou mais transar, chega!”

BRINA SE LEVANTA DA CAMA, DEIXA A TOALHA CAIR.

CENA2/BANHEIRO/INTERIOR/DIA

BRINA NA BANHEIRA. AFUNDA TODO O CORPO NA ÁGUA.

CENA3/CAMA/INTERIOR/DIA
BRENDA DEITADA. FUMA.

“Quer morrer afogado é?! Pois que se dane, eu já disse o que queria, já expus minhas idéias, vamos ter que dar um jeito nessa situação ridícula! Ele é teu irmão, pô! Eu sei que está escutando, Brina!!!”

CENA4/BANHEIRO-QUARTO/INTERIOR/DIA

BRINA EMERGE, RI E JOGA UM BEIJO PARA BRENDA, CHAMANDO-A COM O INDICADOR.

Brenda
“Nem morta, queridinho, nem excita, nem dopada!”

CENA5/BOX CHVEIRO,BANHEIRA/INTERIOR/DIA

BRENDA ENTRA NO CHUVEIRO DE FRENTE PARA A BANHEIRA.

Brina
“Sei que não vai resistir, vem cá, vem amor.”
Brenda
“Já disse tudo pra você, Brina, só me esqueci de te falar o mais grave desta situação!”

BRINA PRESTA ATENÇÃO.

Brina
“Por que toda mulher tem mania de suspense, de falar por código! E sai logo desse chuveiro antes que eu te agarre e te coma aí mesmo!”
Brenda
“Tenho certeza de que não vai mais querer fazer amor depois do que vou te falar!”

BRINA SAI DA BANHEIRA, ENTRA NO CHUVEIRO E TRANSA COM BRENDA. LEVA-A PARA CAMA.

CENA6/CAMA/INTERIOR/DIA

Brina
“Agora que está mais calminha, pode dizer o que está acontecendo, que segredo é esse?!”

BERNDA SE ENCOLHE, FECHA OS OLHOS E FALA CANSADA.

Brenda
“Te prepara porque vou falar mesmo.”
Brina
“Seja o que for, não irá me surpeender, já vi de tudo nesse mundo!”

BRINA ACENDE UM CIGARRO, UM TANTO NERVOSO.

Brina
“Estou esperando, to louco pra saber, chego a estar tremendo. Fala, porra!

Brenda (de costas para Brina)
“Eu e tua mulher temos um caso!”

BRINA FICA IMPASSÍVEL E RI.

Brina
“Você não é a primeira e nem será a última. Mônica é dessas mulheres do mundo, morou na Europa, cê sabe, na época do intercâmbio.”
Brenda
“Vamos nos casar”
Brina
“Não existe casamento gay no Brasil.”
Brenda
“Você entendeu.”
Brina
“Então não há traição aqui, eu to comendo a mulher da minha mulher. Devo ter cem anos de perdão.”

FADE OUT

Anúncios