Sob as rodas do ônibus

200498925-001.jpgEu estava correndo pro ponto do ônibus. Meus passos eram nervosos, com pressa, com falta de ar.

A roupa de sempre, a sandália de sempre, a pressa de sempre, o batom e o perfume se foram, era tarde.

Dia que saco, monótono enfadonho suspenso no ar. Que medo eu sentia num dia ruim, era dia de prova, eu sabia a matéria? Porra nenhuma, eu colei na cabeça a vontade de ir, ir embora pro ponto do ônibus, pro ponto do ônibus, de volta pra casa e voltar a dormir.

Que dia estranho, que gente esquisita, por que todos olham? Por que uns sorriem, eu já sei, é a pressa eu arfando o tamanco sandália a sandália tamanco toc que toca tum tum. Eu preciso fugir eu não quero ver gente eu não quero ser gente eu só quero ir embora pro ponto do ônibus de volta pra casa e voltar a dormir.

Pra que ler Voltaire, tanta regra Allan Poe e Sinclair. Meu roteiro eu rasgo não quero filmar é ruim Syd Field me ferra e eu só quero ir embora pro ponto de ônibus, eu quero minha cama eu quero a nudez de meus sonhos eu só quero dormir.

To estranha  com raiva de gente eu preciso de um trago eu preciso ir pra casa eu só quero dormir.

Eu não quero sonhar eu não quero lembrar dos instantes do amor que perdi da letrinha de prosa do meu grande afair da mania à noite eu não quero filmar eu não quero amar eu só quero um ônibus eu preciso sonhar então eu vou dormir e minha cama espancar.

Onde estão os poetas e onde a vitrine e as tais estrelas  que eu nunca vi meu roteiro pifoi ele é muito ruim eu não quero filmar só queria com ele meu amor firmar mas eu quero meu ônibus a gente me olha será estou rasgada não meu irmão eu só estou bocejando eu estou enfadada e fadada a sonhar.

Eu preciso de um ônibus meu carro já era eu só quero ir embora olhar o asfalto e o meu carro pela janela eu preciso ruir meu roteiro é  má escaleta esta prova de fogo queimou meu neurônio onde está o maldito esperado meu ônibus.

O ônibus veio parou e freou enquanto eu apago o cigarro lá está um homem debaixo do sonho debaixo do ônibus que me levaria pra casa e me jogaria na cama e eu só queria dormir.

O mundo parou e em câmera lenta eu fiquei a olhar as tais pernas do homem debaixo do ônibus eu cuspi gosto de sangue acendi outro cigarro e chorei pelo carro, e o roteiro e as pernas do homem embaixo do ônibus.

Resolvi: eu não vou mais dormir vou voar pro PC escrever outro tema outro caso o roteiro das pernas do homem debaixo do ônibus.

Outro ônibus vem outra espera e eu vou, sento e pela janela dou adeus às pernas do homem debaixo do ônibus.

Mas que louca eu sou hoje não acordei bem e o homem escorrega de baixo do ônibus. Está vivo e sorrindo está vivo e lá se foi meu roteiro outra vez.

Um ônibus enguiçado e um homem abaixo só olhando engrenagem não dá roteiro.

Ah, eu quero dormir, eu quero gritar eu só queria dormir…

Por que não morreu?

Anúncios

Sua opinião me interessa ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s