Poesia de Paulo Vilmar

hos_016.jpg

Resolvi escrever sobre amor,

Mas lembrei de suas coxas,

do gosto da sua carne,

do prazer de revolver,

sua boca, seu corpo, suas entranhas!

 De plantar-me sobre você,

abusado, lambuzado e sorrindo.

Lembrei-me do cheiro forte de sexo,

de suor, de sangue e cachaça,

que penetra qual prazer,

em nossas narinas sangradas!

Nada de cafés da manhã

ou de apologias ao clássico!

A madrugada ainda é escura

e vejo luzes, fugidias,

Circundando tua vagina.

Nem foguetes, nem estrelas,

somente balas tracejantes

iluminam como raios,

nossos urros guturais.

Lá fora a chuva é ácida…

Grande Paulo Vilmar

 http://www.caldodetipos.blogspot.com/

Anúncios