Renovação

Depois do divórcio, Roberta ficara desolada. Não dormia e não mais sentia vontade de comer.
Adoecera e acabou internada com quadro assustador. Perda de peso e depressão.
O jovem enfermeiro cuidava dela com carinho e amor.
O casamento aconteceu dois meses depois.

Susto

Quando ele abriu a porta de casa notou imediatamente que tudo fora revirado. Gotas de sangue manchavam o tapete da sala. No chão um bilhete que leu com mãos trêmulas: ‘seu gato cortou-se no aquário. Meu peixe morreu e eu fui embora.’

E agora?


Difícil acordar com tristeza de um dia errado, como se a vida realmente não tivesse mais nada a oferecer, uma espécie de neutralização frente a todas as nossas lutas que perdemos assim, sem poder bélico, sem exército, amor nenhum.

Ser este ser humano dói, já que experimento prazeres e nenhum satisfaz a fome do poeta, nada diminui a agonia e a claustrofobia de estar neste mundo e não ser.

Como um vírus eu saio invadindo minhas entranhas em busca de novas sensações e agrido todos os meus sentimentos com piedade nenhuma.

Como descarga elétrica eu observo o fracasso dos amores que eu mesma inventei para escrever poemas sangrentos e felinos que após serem escritos, dilaceram-me por dentro e eu então sinto remorsos e medos dos monstros que eu crio para ser feliz. E não sou.

Suicidas são covardes mas opcionais. Rir é melhor que chorar quando não rimos de nós mesmos. Como eu agora nesta manhã carioca, sem sol nem amor.
Fazer o quê?…