Lao Tse – poema 69

Estrategistas militares já disseram:
não ouso ser o hospedeiro,
prefiro ser o hóspede.
Não ouso avançar uma polegada,
prefiro recuar um pé.

Isso significa
marchar para a frente quando não há estradas,
arregaçar as mangas quando não há armas,
varrer o adversário mesmo sem haver adversário,
usar as armas onde elas não existem.

Não há perigo maior do que menosprezar o inimigo.
Assim, arrisca-se o tesouro.
Quando dois exércitos iguais se encontram,
o mais aflito com a guerra alcança a vitória. (Tao te King)

LAO significa menino, criança. TSE, velho.
Lao Tse traz em seu próprio nome toda a essência do pensamento taoísta. Um homem que adquiriu a sabedoria através da experiência, mas soube transmití-la com a vivacidade e a espontaneidade de uma criança.

Anúncios

Sobre Day

As pessoas que consideram que a coisa mais importante da vida é o conhecimento lembram-me a borboleta que voa para a chama da vela, e, ao fazê-lo, queima-se e extingue a luz. (Tolstoi)
Esse post foi publicado em Luz e escuridão. Bookmark o link permanente.

8 respostas para Lao Tse – poema 69

  1. Dai :) disse:

    Volte sempre, Silêncios do Coração.
    A casa é sua. Obrigada.
    Beijo.

  2. Cachaça à parte, incrível como algumas coisas mudam os valores.
    Cheguei aqui e adorei.
    Abraços.

  3. Dai :) disse:

    Cochise, presta atenção he, he..

    Eu pedi a você que fizesse isso pra mim!
    Depois vemos isso pq quero sim, importar meus textos antigos.
    bj!

  4. cochisecesar disse:

    Olá.
    Interessante esse texto do Lao Tsé.
    Mas stou aqui por dois motivos.

    1 – Indicar meu novo endereço, http://quixotesco.wordpress.com

    2 – perguntar porque afinal vc resolveu não importar o conteúdo do antigo “Blog da Dai”
    Não. Não li nenhum post que não comentei, mas assim que sobrar tempo no final dos compromissos tiro o atraso.

  5. Dai :) disse:

    Esse eu considero um testemunho de uma religião chamada Sintonia 😉
    Maravilhoso você, Djabal.
    Por isso lhe amo he, he.
    Beijo.

  6. Djabal disse:

    Sabe, hoje saí com um livro debaixo do braço, Austerlitz. Não sei bem o porquê. Saí simplesmente. Agora compreendi o motivo. A vida de Lao Tse. Na página 119 li: “Na época, se tivesse percebido que para Austerlitz, havia momentos sem começo nem fim e que, por outro lado, toda sua vida lhe parecia às vezes um ponto cego sem duração, eu teria provavelmente aguardado com mais paciência.”
    Essa é a vida do Lao Tse, tão profundo e verdadeiro que sua vida se perdeu, hoje não sabemos da sua existência como aquela pessoa, mas como alguém como Homero ou Shakespeare, que existiu, independentemente do corpo humano que habitou, eventualmente. Dele ficaram os momentos e um ponto cego sem duração. Bjs.

  7. Dai :) disse:

    Bem vinda minha linda. Um prazer receber visitas.
    Um beijão da Dai 🙂

  8. Renata Emy disse:

    Passando p/ dar uma olhadinha!

    [Recomendação do Oscar]

    Gostei!

    Bjo

Sua opinião me interessa ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s