Hermann Hesse – Vivências

 

Hesse picture

[ Não existe nada tão mau, selvagem e cruel, na natureza, quanto os homens normais. ]

Saudades…

Eu sinto, não raro, muita saudade de livros que doei quando engajei-me em projetos filantrópicos. Muitas vezes foi piração mesmo: arrumava pilhas e pilhas, punha na calçada e ficava observando os livros desaparecerem nas mãos dos transeuntes.

 Grande parte de meu acervo encontra-se na casa de uma amiga que mora no final da rua, a Francisca, uma amante dos encadernados. Ela chega ao ponto de doá-los só para garimpar mais.

 Mas tem vezes, como hoje, que eu fico lembrando de minha coleção do Círculo do livro que se foi. Das minhas enciclopédias e de alguns filósofos que pedi para conversarem com outras pessoas.

Aí, vendo-me abraçada a um Hermann Hesse Vivências – tradução de Lya Luft , chorei, gente. Pensei, pegando o  mal conservado livro em minhas mãos: “Faz-me companhia hoje, querido, pois sinto muita falta de seus companheiros que se foram.”

Vivências é uma antologia de contos que o genial pensador escreveu, inspirado em suas próprias experiências, desde os tempos de menino até as amarguras que passou na fase adulta.

Quem sabe um dia eu o presenteie a um de vocês, né amigos?

Trecho do conto Experiência de menino:

[ … Mas ele era quatro ou cinco anos mais moço que eu, e mesmo se fosse um gênio, minha honra de colegial proibia-me de relacionar-me com um menino tão pequeno. Ainda assim, eu o amava… ]

Bem, emocionada e saudosa escolhi uma das minhas frases preferidas de  Hermann Hesse. Isso é que é consolo. Risos.

[ Ler um livro é para o bom leitor conhecer a pessoa e o modo de pensar de alguém que lhe é estranho. É procurar compreendê-lo e, sempre que possível, fazer dele um amigo. ]

Hermann Hesse – 02/07/1877 – 09/08/1962 – Escritor, pensador, pintor da existência humana.

 

Anúncios

3 comentários em “Hermann Hesse – Vivências

  1. Bem…
    Sobre Hesse ou sobre os livros?
    Acho que ele nunca esteve velho… Só consigo imaginar Hesse aos vinte e tantos como seus personagens marcantes…
    Não consigo ter seu desapego. Meus livros vão, mas voltam. E só empresto pra quem imagino que vá cuidar bem dele.
    Mas parabéns por ser um pouco melhor que eu…
    Me dó o coração perceber que tem livros que não leio há anos e não devo ler tão cedo de novo, mas não dou. Empresto. De coração aberto e sem cobrar data de devolução, mas empresto.
    PS
    Com isso me despeço. Tenho outros blogs pra olhar, mas volto depois.

  2. O ser humano às vezes é cruel demais. Somos hábeis excluidores, em geral por motivos tão tolos. E sentimos tanta necessidade de ter amigos; muita contradição. Ler pode mesmo nos fazer sentir uma proximidade com o autor, um estranho que julgamos conhecer e compreender ao fim da leitura. Que você tenha boas companhias. Abraços

Sua opinião me interessa ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s