Carta de amor

 

 Este post vai para Cochise que odiou “O amor é gay” aí embaixo he, he, he.

 

Rio de Janeiro, 16 de maio de 2008.

Querido, como vai você?

Dá para perceber que estou sem computador. Seu telefone, bem, talvez não tenha pago a conta. Prefiro esta a uma opção que envolva a palavra desprezo.

Enquanto escrevo-lhe estas palavras que pretendem ser doces, eu observo uma lua cheia que transborda em mim uma ternura jamais sentida. Imagina você, querido, que é ela, a lua cheia que praticamente ilumina meu quarto e a folha perfumada de jasmim onde redijo esta carta de amor.

Estou emocionada, pois há muito não fazia uso da caneta. Mesmo sendo uma ordinária bic, sinto que cada palavra, ao demorar formar-se, memoriza mais e mais esta desmedida paixão que sinto por você, meu amado.

Como disse, sem computador, tornei-me a mais romântica das princesas. Agora, neste exato momento, estou sorrindo, olhos fechados, mordendo a bic e imaginando o carteiro te chamando e o Rex latindo, tão surpreso quanto você.

Sabe, amor… sem computador e você sem telefone talvez possibilite uns instantes de reflexão. É possível, meu anjo, que nossas almas se entrelacem pela distância entre uma carta e outra. Pensa nisso. Pensa em como nosso amor é lindo e em como o silêncio grita em nosso coração, um desejo absurdo de estar junto de quem ama.

O computador só fica pronto semana que vem. Dará tempo de você responder esta missiva. ‘Missiva’… vovó falava assim.

A lua está tão brilhante lá no céu que sinto vontade de chorar, amor. Chorar como jamais chorei diante do pc.

Querido, faz um favor. Não telefona por enquanto e nem mande e-mail esta semana. Deixe as palavras carregarem no papel perfumado a força do meu amor por ti.

Ah, a carta era só pra dizer que estou com muitas saudades. Espero que quando esta o encontrar eu já não tenha morrido. Morrido de tanto amor.

Da tua,

….

Anúncios

Sobre Day

As pessoas que consideram que a coisa mais importante da vida é o conhecimento lembram-me a borboleta que voa para a chama da vela, e, ao fazê-lo, queima-se e extingue a luz. (Tolstoi)
Esse post foi publicado em Belas. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Carta de amor

  1. gabby disse:

    adorooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo♥♥♥♥

  2. natalia disse:

    vai dar sertinho para o meu namorado

  3. francini disse:

    uallll tive uma grande ideia vou fazer uma carta de amor para minha paichao

  4. luciano disse:

    oi se amar er viver eu vivo por quero amar vc

  5. jaqueline disse:

    nao tenho palavras nem explicaçoes para dizer e maravilhoso ameiiiiiiii

  6. priscila disse:

    amor só quero ser sua amante,cunplise,namorada

  7. ivonete disse:

    amei as cartas

  8. mayara disse:

    adorei

  9. laiza disse:

    eu adorei mais não entidit nada

  10. MUITO OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOORIVELLLLLLLL
    ESA CARTA

  11. Daisy disse:

    Beijo também!!!! 🙂

  12. ana paula disse:

    bbbbbbbbbbbbeeeeeeeijjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjooooo!

  13. Também não sei não, Dai. Exigimos demais do amor, e dependendo do tamanho do ideal ele fica sem chance de corresponder. O máximo de beleza e plenitude é muita exigência para um ser humano. Amor é um mistério enorme! Beijão 🙂

  14. Dai :) disse:

    Pois é… mas será que existe esta felicidade, quer dizer, não só momentos mas algo que dure um pouco mais, antes dos rancorosos desfechos… sei não, amiga.
    Amor é sempre um mistério.
    Beijos 🙂

  15. Amor também é isso, mas queremos muito mais do amor, exigimos dele o máximo de beleza e plenitude. Talvez por isso exista tanta frustração nos amores que se desfazem com rancor, amores reais, mundanos, tão distantes dos ideais que alimentamos. Beijos

  16. Dai :) disse:

    hehehehe!… Valeu a brincadeira Cesar. Um segredo: eu odeio o texto também 😉
    Não sei bem mas acho que de tempos em tempos acontece uma certa ‘molecagem’ na minha escrita. É o que dá escrever só pelo instinto. Talvez eu esteja muito envolvida com roteiro de audiovisual, onde a literatura não mantém a essência, mas a poesia da vida humana em som e imagem. “O amor é gay” mostra claramente um personagem frustrado com algum relacionamento desfeito, ele está rancoroso e é ferino, mas é um personagem do amor. A estética tá ruim mesmo, concordo 😉
    Às vezes tenho receio de perder a mão para prosa e poesia em função de tantas técnicas para se fazer roteiro.
    Mas valeu e muito a crítica construtiva. Acho que devemos vigiar-nos, amigo senta o sarrafo também.
    Beijo amigão 🙂

  17. cochisecesar disse:

    Ah, sim… eu também falo missiva.

  18. cochisecesar disse:

    Tá… Antes de falar da carta, digo texto…
    “Discordo ideologicamente da postura adotada, o texto não tem fluidez e beleza…”
    Quando digo que discordo ideologicamente isso não tem nada a ver com a fluidez e beleza. Mesmo que concordasse com a posição continuaria achando o texto duro, seco e feio. não gostei dele em termos de técnica, forma. (conteúdo tbm, mas não um por causa do outro)

    Agora o texto bonitinho que vc escreveu por minha causa…
    “Agora, neste exato momento, estou sorrindo, olhos fechados, mordendo a bic e imaginando o carteiro te chamando e o Rex latindo, tão surpreso quanto você.”
    certa vez li uma expressão “te leva do veludo ao velcro” não lembro sobre o que…
    Imediatamente me identifiquei… o prosaico da situação, ao lado do sublime dela mesma.
    A beleza não apartada do real como os românticos clássicos acreditava ao comparar bocas com botões de rosas e falar de hálitos que cheirava a lírios numa época sem escova de dentes…
    Mas a beleza do real. O veludo casado ao velcro… Isso é o que ando procurando para a minha obra literária. O Veludo e o Velcro (Ei. Isso dá título de livro).
    O seu texto é naturalmente fragmentário… Acho que é uma característica sua… (ao menos tudo que me lembro de ler é fragmentário)
    Gosto de textos fragmentários, mas enquanto a estrofe que cometei no outro comentário mantem o delicado equilíbrio entre osso e fratura…
    ah.. cê sabe…
    De qualquer modo me espanta a minha influência, mas aviso de antemão que sou noivo e…
    ah.. cê sabe também…
    Sim gostei muito desse texto. Também me identifiquie muito com ele.

Sua opinião me interessa ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s