Nietzsche

Os leitores extraem dos livros, consoante o seu carácter, a exemplo da abelha ou da aranha que, do suco das flores retiram, uma o mel, a outra o veneno.

 

Anúncios

Literatura News – “A Opinião Dos Outros” Por Laura Bacellar

Por que o fluxo de entra-e-sai no Duelo de Escritores

Andei pensando em como pode não ser saudável criarmos sob pressão. Imaginem termos que escrever, segundo um tema proposto, ou dentro de determinado prazo, ou até mesmo não escrevermos porque, por algum motivo, não pudemos cumprir as “regras”. Pensando nisso, obtive algumas opiniões. Vejam que este formato do blog Duelo de Escritores, além de ser contrário à livre natureza criadora, pode levar as pessoas ao estresse. A renomada e experiente editora de livros Laura Bacellar expressa sua opinião. É muito interessante! Encontrei este artigo, pesquisando a respeito, pois intrigava-me o “entra- e- sai” de escritores neste blog, o  Duelo de Escritores, onde o próprio título seduz ao comprometimento da disputa, o que pode não ser nem um pouco saudável também.

A opinião dos outros, por Laura Bacellar

Muitos, muitos jovens pedem que eu leia seus blogs, capítulos, poemas e diga se escrevem bem e se devem continuar. Querem minha opinião como editora experiente sobre seu futuro como escritores.
Eu nunca respondo porque fico aborrecida com essa entrega de autoridade. Quem aceita que outra pessoa – seja quem for, profissional do livro ou não – determine sua eventual carreira como escritor, simplesmente não merece essa carreira.
A escrita brota de dentro, não de fora. Ninguém escreve porque é obrigado por circunstâncias externas, e se faz isso deixará em breve, logo no primeiro obstáculo.
A escrita é uma necessidade de expressão da pessoa, seja de suas opiniões e conhecimentos (na não-ficção), seja na vontade de contar histórias (na ficção).
Escritores precisam aprender a alimentar por conta própria esse fogo interno de criatividade, de fluidez, de percepção, de sedução. A atenção dos outros é a cereja no bolo, mas o bolo em si quem tem que assar é a pessoa que escreve. (…)

Continuem lendo o artigo no excelente site Escreva Seu Livro. Clique aqui!

Inté!

Sócrates

A maioria dos homens não nota que ignora a essência das coisas. Isso porém não os impede de acreditar erroneamente que a conhecem. Acontece o que é esperado: tais pessoas não concordam consigo mesmas, nem umas com as outras.

Podemos perceber, a partir deste pensamento socrático, que espécie de homens provoca posturas radicais, tais como censuras e ditaduras morais e psicológicas.

Literatura News – Negros e Meninas de Doze Anos – Duelo de Escritores

O  ganhador da última rodada no Duelo de Escritores, cujo tema foi censura, é o neurótico e confuso texto do escritor Vogan Carruna – Ironia, que comete erros, não só gramaticais de preposições, como e principalmente ideológicos, tantos que nem valeria a pena comentar. Mas serei breve.

O texto ficcional/oportunista trata da estória de um velho jornalista  enlouquecido que, em determinada altura, o leitor percebe que ele (o autor?) já não  fala coisa com coisa. Ora defende a liberdade de expressão, ora sugere que internautas sejam proibidos de falar o que quiserem na rede.

Porém o mais patético do texto ganhador – e se este texto ganhou, imaginem, meus  leitores, o nível de eleitores do blog -, é que o autor, dando uma de antropólogo, defende que a sociedade deve liberar suas meninas de doze aos quinze anos para fornicação, alegando que em culturas antigas tal evento sexual era natural. E, pasmem, há duas meninas de quinze anos que participam do blog. Tirem suas próprias conclusões, leitores.

O texto é tão confuso, longo  e exagerado que, dificilmente, alguém poderá lê-lo sem bocejar, ou desistir no meio do caminho.

E, para quem tem estômago fraco, melhor não ler a parte em que o autor Vogan Carruna diz que há cem anos chicotear negro era “banal e até necessário”.

E por aí vai. Apenas pensem: se este texto, suspeitamente tendencioso, é eleito o ganhador da rodada no Duelo de Escritores, podemos imaginar o que poderá vir por aí. Mas estarei de olho, informando aos leitores.

Por fim, prefiro acreditar que o escritor apenas cometeu um erro e que, numa próxima oportunidade, haverá de se dar ao desagravo com um bom e lúcido texto.

Inté!

Literatura News – Democracia & Arte

Duelo Pela Liberdade de Expressão

Semana difícil é aquela quando tanta coisa acontece que você sente que sua vida mudou. No caso desta notícia, diria que mudou minha visão de mundo – o virtual. Eu, que jamais fui chegada em política, me vi às voltas com a tal da Democracia, ou a falta dela. E, pior, na vida virtual!

Existe um blog literário que deu o que falar nestes últimos dias. O Duelo de Escritores.

Depois de calorosa disputa pela liberdade de expressão, entendi, como néscia brasileira, que não há democracia coisa nenhuma, nem mesmo na arte. Ao menos na arte literária. Ou, em última análise, não na arte literária do referido blog. Em assim sendo, teve esta que vos escreve, dois contos  impedidos de serem publicados, surpresa acompanhada de espaventa expulsão.

Em tal espaço, escritores (muitos deles talentosos) participam de rodadas quinzenais, inscrevendo seus textos, desde simples crônicas a verdadeiras odisseias literárias, passando pela poesia, e até pela falta de imaginação. Há experimentos que fariam Machado de Assis passar mal. Textos com “liberais” erros gramaticais e ortográficos. Entretanto, esta matéria é para explanar sobre democracia que não existe, definitivamente, em tal bloguito surreal.

É um espaço que já foi interessante e criativo no passado, mas que hoje, e ninguém sabe explicar o porquê, tem ares de soberba ditadura, ou de um clubinho fechado. Um espaço onde quase  ninguém se sente à vontade, muito menos para escrever (!) socorro.

Todos sabemos que a democracia, em mãos erradas, é um desastre total. Contudo, devemos todos concordar que ditadura é o fim da picada. Principalmente em arte, e, definitivamente, na literatura.

Democracia é um “direito adquirido”, mas se até o PT com seu ex-entusiasta Lula querem censurar o termo “mensalão” criado por eles mesmos, me pergunto se é tão surpreendente assim existir o famigerado Duelo de Escritores.

Hoje, inauguro esta coluna, onde falarei de democracia e literatura, comentando vários textos, usando como base o interminável material gentilmente cedido pelos moderadores do duvidoso espaço literário. Observem, finalmente, que o proprietário dá o maior dos exemplos, publicando um artigo codificado. Confiram aqui.

Inté!