Solidão, e agora?

Solidão
Não basta sentir solidão.
Tem que vir o medo, o vazio e o nada.
Um escombro doloroso que, finalmente,

me enfrenta, mais audacioso e forte,
e me questiona, eu em coma.
Solidão é pouco,
tem que sacudir toda a minha existência
sem respostas e sem perguntas.
É um momento quieto
de dor e gozo ao mesmo tempo.
É possível ser feliz
quando não sei o que isso significa.
O objetivo talvez seja sofrer
um masoquismo que vem de longe,
e enquanto isso as moscas me olham
com grandes olhos de saber.
Solidão é mais que a própria solidão.
É conhecer a morte mesmo estando viva.
É saber que nas alturas do medo
nada acontece, até que meu corpo reaja
diante das armadilhas
preparadas por mim mesma.
É possível sentir solidão
sem ser nada que tenha vida,
e é angustiante pensar que tudo se foi, contudo,
ainda vir as toscas peles
e suas células sorrindo em camadas
de minha velhice, qual flor depois da primavera.
A solidão nunca vem só;
ela traz aquela sensação doida
de quem abre os olhos
e se depara com uma janela no sol.
Cansa a vista, cansa a vida, e nada mais acontece.
Anúncios

Sobre Day

As pessoas que consideram que a coisa mais importante da vida é o conhecimento lembram-me a borboleta que voa para a chama da vela, e, ao fazê-lo, queima-se e extingue a luz. (Tolstoi)
Esse post foi publicado em Poesias. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Solidão, e agora?

  1. Day disse:

    Obrigada mesmo, Segredo! Beijão!!!

  2. segredo disse:

    É Day realmente você , tem poesias e contos incrivéis postado muito bons mesmo legal ler tudo que estou lendo

  3. Day disse:

    Saiba, Shirley, que vindo de ti, sinto-me muito parabenizada. Puxa, valeu mesmo!!! Beijo e feliz ano novo! 🙂

  4. Shirley S. Rodrigues disse:

    Day
    Não sou capaz de escrever um único verso ‘de pé quebrado’ nem que minha vida dependa disso, então sinto profunda admiração e respeito por quem é capaz de escrever um poema tão bonito, que expressa tanta intensidade de sentimentos com essa delicadeza.
    Não gosto muito de dar ‘parabéns’, parece uma espécie de condescendência e mesmo, no caso desse poema, dar parabéns pareceria muito raso. Então eu digo que sempre que encontro algo belo, me sinto privilegiada e esse poema é belo.

  5. Day disse:

    Obrigada, Liu. 🙂

  6. Liu disse:

    Gostei muito 😉

Sua opinião me interessa ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s