O Bem é Nosso

Imagem

 

Buscar a vida é tarefa das mais difíceis, sem dúvida. Não é privilégio de muitos. Em geral nós estamos envolvidos com nossas preocupações; das mais variadas vertentes. De ordem financeira, conflitos banais, familiar, no trabalho.

 

Fala-se em A Nova Ordem Mundial. Retiro meu olhar religioso, para apenas constatar fatos que levarão ao cumprimento das profecias apocalipticas. Por exemplo, o mundo começa a mergulhar em uma crise econômica inimaginável

 

As crianças são perseguidas, seja pela miséria – antes na África, hoje no mundo; seja pela alarmante e crescente pedofilia. Padres são acometidos (assumidos mais ou menos de um século para cá), de estranhas possessões de erotismo e pederastia. E muitos e vários sinais de uma grande virada comportamental no planeta terra.

 

Como disse, não é sobre religião. Aliás a religião somente serve para atrapalhar a linha de pensamento do homem. Dogmas, ‘leis’, paradigmas, doutrinas e mais doutrinas afastam o homem de sua essência. A questão é:

 

O que você pretende fazer de bom e positivo em dois mil e doze? Nada de listinhas tipo: ‘vou emagrecer’, ‘terminar a faculdade’, ‘mudar de emprego’, ‘trocar o carro’…

 

Em virtude de o mundo estar mudando – de ponta cabeça vide Grécia, vide Europa, é preciso que façamos profunda reflexão de nosso real papel neste espetáculo que é VIVER.

Precisamos nos voltar mais para o lado interior, espiritual. Entendamos por ‘espiritual’, aquela parte de nós que pensa e que sente. Nossa consciência. Nossa alma.

 

Primeiro passo, eu diria, seria realmente desarraigarmo-nos  dos maus sentimentos que trazem maus fluidos, tais como: angústia; ressentimento; raiva; trsiteza; vingança; inveja. Todos somos suscetíveis a tais sentimentos. Não o neguemos. O desafio é fugir deles. Apartando-nos definitivamente do nosso lado cruel.

 

Independente de religião. O Mal está na terra. Os reflexos são, como disse, pedofilia, maus tratos aos animasi, crimes, miséria, devassidão sexual.

 

Deus, ou como queiram chamar a Natureza, certamente não curti religião. Ela é, sem dúvida, um buraco negro perigoso, de onde talvez não se possa sair. E prisão é algo maligno. Precisamos ser livres. E, desta forma, encontrarmos a salvação do nosso próprio ser.

 

Quero estar aqui ano que vem desejando feliz dois mil e treze, com a certeza de que fiz, que fizemos coisas boas em dois mil e doze. Paz a todos os amigos e não amigos, e leitores, e não leitores. Paz a todos os homens da terra!

Anúncios