Domingo

homem
Domingo é um bom dia. Distração. E até, muitas vezes, um dia de pura comunhão com nada. Ou não. Quem seria eu para profetizar este dia bom.
Domingo é antigo, Raul se entediava por ter que dar pipocas aos macacos. Darwin? Ah, chega desse papo.
Domingo, às vezes pode ser bom. Deveria ser bom, se não fossem esses erros que cometemos nos dias que antecedem este dia.
Domingo é bom, folga, preguiça, jantinha rápida e nenhuma vontade de estar com ele.
Passei um domingo bom. Passei, antes, por ele. É, na verdade, um péssimo dia, se você estiver com homens. Não confie em homens.
Arrependo-me, pois poderia ter passado este dia confiando num beija-flor, numa formiga. Entretanto, estupidamente, pensei em homem, ao invés de resgatar a natureza que não tarda a acabar.
Não confiemos nos homens. Aos domingos menos ainda. Os homens mentem. São hipócritas e não merecem, nem céu, nem inferno. Os homens mentem. Não confiem neles.
Domingo não existe mais. Pena ver as igrejas debatendo-se, num momento em que não há mais homens de confiança. Não, não confiem nos homens.
Tente as borboletas, as gaivoras, corsas. Focas? Experimente qualquer coisa diferente de homens. Até as tartarugas são honestas, mesmo minhocas se prestam a algo. Mas não creiam nos homens.
Não há diabo a nos irar. Nem Deus a errar ou envergonhar-se da criação. É certo que o erro, nós os cometemos. Traimos a nós mesmos. Não creiam em si mesmos. Não acreditem nos homens.
Um bom domingo seria bom sem estar pensando em outrem. Sem estar com vontade de matar a criação. Por que eu tenho como vizinho um homem? Por que não um gato? Uma abelha? Baleia seria pedir demais…
Não peço, exijo: não quero homem por perto. Sobrevivo sem ele, nem quero ser humana mais.
Um domingo seria bom sem falsas palavras, caso tivéssemos coragem de dizer a verdade a respeito de nós mesmos. Não devemos crer na gente. O povo mente. Teu marido mente. Tua esposa mente.
Um bom domingo seria estar só, em meio a pipocas, esquecendo-se da humanidade, e assistindo várias vezes aquele mesmo filme.
Domingo que nada!
Homens nada valem, afinal. Não confie na humanidade. O homem errou sempre. Mentiu sempre.
Quem dera ser uma simples borboleta, ou um leão dos bons.
Provavelmente adestrariam-me, porque homem não presta. É puro veneno que matou baleias e esperanças.
Domingo só é bom se for de mentira. Não procure a verdade, ela não te libertará.
Antes, te mostrará quão falso é o homem. Não acreditem nos homens. Seja um beija-flor. De preferência se for domingo.