LITERATURA _ ENIGMA DA VIDA

 

zemial

ESCRITOR MARCELLO SCHWEITZER

ENIGMA DA VIDA _ RESENHA

O escritor Marcelo Schweitzer, traz mais uma intrigante história de Morserus. Os que acompanham a odisseia, conhecem a gama de personagens desse fictício mundo, onde não existe o homem, mas apenas animais antropomórficos, isto é, animais com características do homem; com o diferencial de que neste mundo, tanto os sentimentos, as crenças e conceito de bem e mal, certo e errado, estão além da cognição humana.

Neste conto, Enigma da Vida, o autor apresenta, mais uma vez, Zemial, o Gato albino, que desde a infância e adolescência, vem lutando pela paz interior, mergulhado em questões vitais, como amor, a ausência dele, solidão e depressão. O personagem passou a vida tentando descobrir por que jamais fora amado pelo pai que o abandonou, e por sua mãe que também o rejeitou, entregando-o a um orfanato, onde Zemial viveu momentos tenebrosos e assustadores, como a tentativa de sua mãe em matá-lo.

O Gato albino, está agora com quarenta e um anos, e se esconde em uma cabana no meio do nada, cercado por vegetação e fantasmagórica solidão. Guardou, por quinze anos, o frasco de veneno, e decide que chegou a hora de se despedir de uma vida sem sentido e sem respostas às suas questões existenciais.

Juntamente com o amadurecimento do personagem, vemos que suas decisões também ficaram mais firmes. Era a hora de morrer, envolto no suicídio dos que nada mais esperam de sua existência.

Entretanto, o Gato cresceu, também, espiritualmente. Suas indagações são mais globais, ele aprendeu ciência, e deixou de ser ateu. Sim, ele consegue ver o mundo de uma forma mais altruísta. Entende que sua dor é a dor de todos, e que o amor não pode vir morar em um coração negro de ódio e ressentimentos.

O conto faz referências jungianas, usando a metáfora dos exspes, insetos-deuses que se alojam nas mentes dos habitantes deste mundo sombrio, mas que na verdade é ele mesmo lidando com seus deuses e demônios, isto é, confrontando a própria consciência.

Em sua filosofia aprimorada pelos anos, Zemial descobre que “ideias que sobrevivem séculos são ideias imortais, que nascem de dentro de cada um, demonstrando que existe um elo entre todos, esse elo revela que todos formam o um.” Com esse pensamento panteísta, o Gato se encontra, de novo, em posição de questionar a vida, por uma última vez, antes de morrer. Menos cético, contudo, com as mesmas dilacerações na alma.

Apesar de alegar não querer ser “um cego que finge ser feliz”, Zemial, involuntariamente, se vê cercado de acontecimentos que irão mudar o rumo de sua sofrida e solitária existência.

Acredito que neste episódio, o personagem surpreende, ao se conectar ao mundo todo, dos insetos aos astros do céu de Morserus. Mais um conto eletrizante, carregado se suspense, com um desfecho que deixará o leitor em transe, pois Zemial, desde criança, demonstrou ser muito mais que um garotinho assustado. Explode, então, a força contida que nem ele mesmo sabia possuir.

Como disse Carl Jung, quem olha para fora sonha, quem olha para dentro acorda.

Congratulações, Marcelo Schweitzer, por mais um excelente conto de Morserus.

By Day

Anúncios

52 filmes para amantes da Literatura Estrangeira

Taí uma super lista feita por André Gazola, do Lendo.org, um dos maiores blogs de Literatura, do qual me orgulho por ter trabalhado com resenhas literárias. Parabéns, André!

1. A Bela da Tarde (da obra do francês Joseph Kessel)

A bela da tarde

2. A Corrente do Bem (baseado na obra de Catherine Ryan Hyde)

A corrente do bem

3. A Dama das Camélias (da obra de Alexandre Dumas Filho)

A Dama das Camélias

4. A Flor do meu Segredo (de Pedro Almodóvar)

A flor do meu segredo

5. A Gaiola das Loucas (da peça de Jean Poiret)

A Gaiola das loucas

6. A Rainha Margot (inspirado na obra de Alexandre Dumas)

A rainha Margot

7. A Revolução dos Bichos (baseado na obra de George Orwell)

A Revolução dos Bichos

8. Adeus às Armas (da obra clássica de Ernest Hemingway)

Adeus às Armas

9. Agonia e Êxtase (da obra de Irving Stone)

Agonia e Êxtase

10. Amor & Cia (do livro de Eça de Queirós, Alves e Cia.)

Amor & Cia

11. Bonequinha de Luxo (do conto de Truman Capote)

Bonequinha de Luxo

12. Crime e Castigo (da obra de Féodor Dostoiévski)

Crime e Castigo

13. De Salto Alto (por Pedro Almodóvar)

De Salto Alto

14. Em Nome de Deus (da romance homônimo de Marion Meade)

Em Nome de Deus

15. Excalibur (baseado no livro “O Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda”, de Thomas Malory)

Excalibur

16. Fausto (adaptação da obra de Göethe)

Fausto

17. Fernão Capelo Gaivota (baseado no best-seller de Richard Bach)

Fernão Capelo Gaivota

18. Germinal (da obra de Emile Zola)

Germinal

19. Hamlet (da peça de William Shakespeare)

Hamlet

20. Henrique V (baseado na peça de William Shakespeare; inspirada na vida do rei inglês)

Henrique V

21. Horizonte Perdido (da obra de James Hilton)

Horizonte Perdido

22. Júlio César (a produção aclamada de William Shakespeare)

Júlio César

23. Macbeth (baseado na peça de William Shakespeare)

Macbeth

24. Madame Bovary (da obra de Gustave Flaubert)

Madame Bovary

25. Meninos do Brasil (inspirado no romance homônimo de Ira Levin)

Meninos do Brasil

26. Nina (versão brasileira da obra “Crime e Castigo” de Dostoiévski)

Nina

27. O Caçador de Pipas (do best seller de Khaled Hosseini)

O Caçador de Pipas

28. O Carteiro e o Poeta (do livro homônimo de Antonio Skármeta)

O Carteiro e o Poeta

29. O Código da Vinci (do best seller de Dan Brown)

O Código da Vinci

30. O Corcunda de Notre Dame (inspirado na obra “Notre Dame em Paris”, de Victor Hugo)

O Corcunda de Notre Dame

31. O Crime do Padre Amaro (da obra homônima de Eça de Queirós)

O Crime do Padre Amaro

32. O Diário de Anne Frank (por ela mesma. Relatos dramáticos da II Guerra Mundial)

O Diário de Anne Frank

33. O Ditador (baseado no romance “A Festa do Bode”, de Mário Vargas Llosa)

O Ditador

34. O Idiota (baseado no conto de Dostoiévski)

O Idiota

35. O Iluminado (baseado na obra de Sthepen King)

O Iluminado

36. O Inferno de Dante

O Inferno de Dante

Nota: Segundo os comentários do André Alexandre e da Sônia, logo abaixo, a única alusão à obra de Dante está no título. O roteiro não tem nada a ver com a Divina Comédia.

37. O Médico e o Monstro (da obra de Robert Louis Stevenson)

O Médico e o Monstro

38. O Nome da Rosa (baseado na obra de Umberto Eco)

O Nome da Rosa

39. O Pequeno Príncipe (inspirado no livro de Saint Exuperry)

O Pequeno Príncipe

40. O Primo Basílio (da obra de Eça de Queirós)

O Primo Basílio

41. O Velho e o Mar (do livro homônimo de Ernest Hemingway)

O Velho e o Mar

42. Oliver Twist (baseado no livro homônimo de Charles Dickens)

Oliver Twist

43. Os Cavaleiros da Távola Redonda (baseado no livro “O Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda”, de Thomas Malory)

Os Cavaleiros da Távola Redonda

44. Os Miseráveis (do livro de Victor Hugo)

Os Miseráveis

45. Os Três Mosqueteiros (do clássico de Alexandre Dumas)

Os Três Mosqueteiros

46. Papillon (da obra de Henri Charriere)

Papillon

47. Robinson Crusoé (da obra de Daniel Defoe)

Robinson Crusoé

48. Romeu e Julieta (adaptação da peça de Willian Shakespeare)

Romeu e Julieta

49. Shakespeare Apaixonado (baseado no clássico “Romeu e Julieta”)

Shakespeare Apaixonado

Nota: Segundo o comentário do André Alexandre, logo abaixo, há referências à obra de Shakespeare, mas o roteiro é original.

50. Sonhos (baseado no livro de Akira Kurosawa)

Sonhos

Nota: o leitor André Alexandre acredita “que o roteiro é baseado em um argumento dele [Akira Kurosawa], inspirado em seus próprios sonhos.”

51. Tempo de Despertar (baseado no livro autobiográfico de Oliver Sacks)

Tempo de Despertar

Nota: o leitor André Alexandre diz que “na verdade é baseado em um livro de relatos de pacientes do Dr. Sacks, vítimas de uma letargia encefálica e como eles retornaram desse sono.”

52. Tristão e Isolda (da obra de Joseph Bédier)

Tristão e Isolda

ÍNDOLE – O livro da vez

Imagem

 

Há tempos não leio um livro que possa ser denominado excelente, principalmente de um autor brasileiro/carioca, no caso, Kito Mello.

 

O livro é primoroso nos detalhes e na narrativa, onde o sotaque carioca de Mello não impede que ÍNDOLE possa vir a ser um best seller, já que o personagem protagonista MÁRCIO (descendente de ricos judeus), transita, literalmente, pelo mundo; desde uma viagem patrocinada aos mais belos lugares das Américas, à distante Israel, o que proporciona ao leitor incríveis descrições do mundo islâmico, e de Jerusalém, brindando-nos com curiosidades idiomáticas e culturais daquele mundo.

 

O autor tem embasamento e, através do personagem, ministra verdadeira aula sobre o terrorismo, até porque MÁRCIO se transforma em uma espécie de Polícia Secreta Antiterrorismo.

 

O título da obra não poderia ser mais adequado. Desde a infância de MÁRCIO e sua irmã BIA, até a maturidade, todos os personagens que transitam pela sua vida, incluindo, e, principalmente seus pais, são revistados psicologicamente pelo protagonista. E mesmo seus filhos não são poupados de suas críticas ácidas, às vezes cruéis, porém sempre verdadeiras e honestas.

 

A estória é narrada do ponto de vista do sofrimento impingido a MÁRCIO, desde as surras recebidas da mãe neurótica, à ausência paterna de um homem que já começa a estória abandonando a genitora de MÁRCIO grávida para mergulhar, com dois amigos igualmente irresponsáveis, numa aventura de navio a Portugal.

 

MÁRCIO, já adulto, é vítima de uma “armação” na empresa em que trabalha e vai preso. Como não bastasse, logo após é internado pela esposa descontrolada, em uma clínica psiquiátrica porque, num momento de profunda angústia, ele tenta o suicídio.

 

É o estopim para que os limites de um homem, ainda que honesto, sejam rompidos e ele próprio esqueça das leis e de Deus. MÁRCIO foge da clínica e se une a um bandido para executar vingança contra seus algozes.

 

A partir daí o leitor se vê envolvido até o pescoço nas tramas do genial e complexo protagonista lutador de jiu-jitsu que, num desespero calculado, leva a cabo seu plano de vingança aos que o feriram, na alma e no corpo.

 

Muita ação, mortes, assassinatos, sequestros, violência e tramas diabólicas, são ingredientes fermentados desse bolo humano chamado ÍNDOLE.

 

É impossível parar de ler o livro porque ele transcorre como um thriller. Cenas são coladas e costuradas num ritmo vertiginosamente excitante. Aqui, o leitor pode se deliciar com ficção, mas com total verossimilhança da vida humana.

 

O personagem, por mais cáustico que seja, frio e calculista, tem um lado carente e amoroso, o que se comprova no amor aos filhos e à SARAH, mulher que conhece em São Paulo e reencontra mais tarde, em Israel.

O desfecho é carregado de suspense. É impressionante!

 

Todo o tempo, ÍNDOLE remete a um pensamento de Mark Twain: “A verdade é mais estranha que a ficção, mas é por causa que a ficção é obrigada a lidar com possibilidades; já a verdade, não.”

 

 

 

 Título – “Índole”

Autor – Kito Mello

Editora – Livro Pronto

Páginas – 347
Contatos – http://www.kitomello.blogspot.com

Ele não voava apenas, o Hughes

Howard Robard Hughes Jr. não era apenas um “aviador”, um bilionário jovem industrial excêntrico como o filme The Aviator, numa excelente atuação de Leonardo di Capri, nos mostra.
Li o livro há muito tempo, porém, ao assistir ao filme de Martin Scorsese, fui remetida às lembranças dos momentos aterradores que passei, lendo sobre um milionário bizarro que assustou a todos em seus piores dias de vida, aqueles que antecederam sua morte.

Clichê à vista: Assisti ao filme, mas o livro é bem melhor.

Esta é outra produção cinematográfica: O incrível Howard Hughes

O vencedor do prêmio da Academia Tommy Lee Jones (O Fugitivo) estrela no papel do lendário Howard Hughes em sua trajetória, do seu início como um excêntrico jovem industrial até os seus últimos dias chocantes como o bilionário mais bizarro do mundo. Neste meio tempo, Hughes se torna um notório magnata de Hollywood e conquistador das mais belas atrizes, constrói um império internacional, desenha e pilota o infame “Spruce Goose” e aterrissa em um horrível abismo de paranóia e loucura, tudo isso visto através dos olhos de seu leal assistente e braço direito Noah Dietrich (Ed Flanders). A direção é do William Graham. Viva a loucura e a grana alta!

Marcelo Rubens Paiva no Largo da Carioca

Enquanto isso, nos sebos cariocas

Nada disso. Não é puxar a brasa para minha sardinha, mas convenhamos, Marcelo Rubens Paiva, Antônio Callado, Waldemar Cláudio dos Santos, e… ufa! Todos a Um Real!

Passando pelo Largo da Carioca, parei em um dos vários stands, e demorei horas escolhendo (que difícil) alguns livros que, além de bem conservados, têm a magia de nos prender ali, no coração do Rio de Janeiro, a cidade que não abre mão da cultura, apesar dos maus tratos políticos.

Por respeito ao grande Rubens Paiva, resolvi destacar seu filho, o Marcelo Rubens Paiva, um intelectual que nos dá a honra e o dever de não esquecermos seu pai, aquele escritor e jornalista ‘desaparecido’ na ditadura militar.

O romance policial Bala na agulha, publicado em 1992 e recentemente lançado com revisão do autor, fala de prostituição e tráfico. Mesmo a estória se passando em Manhattan, NY, percebe-se crítica óbvia à história recente do Brasil.

Ficam a indicação e a homenagem à minha cidade, que se esforça em manter seu charme, com seus milhares de sebos espalhados em esquinas e cafés literários.

Largo da Carioca – 1950

Para Alexandre Kovacs

Bom final de semana a todos! 🙂

Uma bela coleção por 4,90

 A Livraria da Folha, do jornal FolhaOnline, que eu leio,  está promovendo uma lista de livros de respeito, a partir de 4,90 – fora o frete que não passa de 5,00 reais.

Livros atuais, autores consagrados analisados por mestres e doutores, fazem dessa coleção uma bela aquisição para compor sua biblioteca. Pode parecer ‘obra para iniciante’, mas vamos combinar, quem tem tempo de mergulhar fundo em tantos autores e teorias? 😉

São mais de cem títulos, todos com preços promocionais. É só conferir a lista e adqüirir.

Guimarães Rosa – O livro explica a obra do autor que transportou a língua portuguesa para um plano de invenção nunca visto. A autora Walnice Nogueira Galvão, professora de literatura da USP, se detém na análise de ‘Grande Sertão – Veredas’.

O Narcotráfico – O repórter especial da Folha Mário Magalhães expõe as engrenagens do narcotráfico -das “bocas” que controlam o varejo nas favelas às organizações multinacionais que movimentam bilhões com o crime organizado.

Casa-Grande & Senzala – O livro abre caminhos para a leitura do grande ensaio de interpretação do Brasil produzido por Gilberto Freyre. Roberto Ventura, professor de teoria literária da USP, aborda ainda a trajetória controversa do escritor.

Carlos Drummond de Andrade – O livro explica a obra de Drummond e apresenta um roteiro de leitura iluminado por comentários e interpretações do autor, Francisco Achcar, professor de língua e literatura latina da Unicamp.

Macacos – O médico, romancista, cronista e professor-pesquisador da Unip, Drauzio Varella, adentra o universo dos macacos e analisa os hábitos e relacionamentos sociais característicos dessas espécies.

Nietzsche – Livro do professor de Filosofia da Unicamp, Oswaldo Giacóia Júnior, apresenta a obra de Nietzsche e esclarece por que é impossível se colocar à altura dos principais temas atuais sem entender este pensador provocativo.

O Malufismo – O jornalista Mauricio Puls (Folha de S.Paulo) examina criticamente o fenômeno político do malufismo nas últimas três décadas da história brasileira.

Os Alimentos Transgênicos – O livro de Marcelo Leite (colunista da Folha de S.Paulo) explica o que são os transgênicos, como surgiram e o seus efeitos.

A Dor – João Augusto Figueiró, médico psicoterapeuta, explica em linguagem simples e de uma perspectiva humanista o que é a dor e como tratá-la.

A Maconha – O senador Fernando Gabeira (colunista da Folha de S.Paulo) apresenta os prós e contras da maconha, sem escusar nem demonizar seus malefícios, e sem esconder suas virtudes.

História do Campeonato Paulista 1902-1996 – É um levantamento histórico de 95 anos de Campeonato Paulista. Traz mais de 150 fotos históricas, recordes do campeonato, perfis dos maiores jogadores e muitas curiosidades.